Oxigênio

O teatro em Juiz de Fora tem conquistado um espaço cada vez maior e se unido em projetos, espetáculos e oficinas que fazem com que essa arte tão plural evidencie o trabalho de artistas, diretores, atores e produtores locais. Não é segredo pra ninguém que a cidade respira arte de forma cada vez mais intensa, conquistando não apenas o público local como também nacional. Dessa vez, a gente chega pra falar sobre mais uma conquista que enche nosso coração de emoção porque entre os dias 31 de março e 5 de abril, vários artistas locais se apresentam em um dos maiores festivais de teatro do país.

Design sem nome

Falta de ar. Dificuldade para respirar. Sensação de estar sufocado mesmo sem nenhuma interferência externa. Em algum momento na vida nos faltará oxigênio, simplesmente ficamos sem ar e a vida escapa em pequenos suspiros. Através de uma de uma trama não linear, porém lógica, o espetáculo “Oxigênio” transita por momentos com diferentes tons de dramaticidade, tendo como base da história a deterioração do mundo pela humanidade. O espetáculo marca o nascimento do supercoletivo Ozônio, formado por três importantes grupos da cidade, Corpo Coletivo, Núcleo Teatral Prisma e Santa Corja, que se esse mês se apresentam no Fringe. O texto foi criado de forma inovadora e a ideia de inicial surgiu em uma das primeiras reuniões do grupo, elaborado por Fadel, que serviu como fio condutor do espetáculo. As provocações textuais foram incorporadas a partir do trabalho sensível de Rafael Coutinho e Gabi Guarabyra, e a obra se consolidou através de fragmentos que foram sendo levados para os ensaios por cada um dos envolvidos no coletivo, ganhando novas formas e sendo moldado por opiniões múltiplas que deram vida ao espetáculo. 

editA peça conta com a atuação de nove atores, criando um ambiente de produção coletiva e mista que une diversos artistas como destaca o diretor Hussan Fadel. “É um prazer desmedido poder fazer a estreia nacional do nosso trabalho em Curitiba, no Fringe, dentro de uma mostra feita na garra, por artistas da cidade, fruto de uma articulação que promete afetar significativamente o cenário local. É um ato político. Diante de tanta desarticulação, mostramos que o valor do teatro, da arte, está no encontro, em estarmos juntos, em fazer o que nos inquieta, o que nos dá impulso… Assim, esse trabalho está carregado com a força e a potência de cada pessoa envolvida, formando um grupo plural e gigante, nos diversos sentidos que esta palavra possa remeter. É o teatro de Juiz de Fora indo longe e participando de um dos maiores festivais do país.” Além desse espetáculo, Curitiba também vai receber diferentes espetáculos de cada coletivo durante o festival de teatro. O Corpo Coletivo apresenta “Casa dos espelhos”, além de “Plástico Bolha” e “Incômodos: teatro em casa”. Já a Santa Corja estará em cartaz com “Sobre Capitu” e “#trintei”, enquanto o Núcleo Prisma estará presente com “Algodão azul”. Mas calma aí, que se você ficou curioso nós temos uma ótima notícia porque você pode assistir ao espetáculo “Oxigênio” na pré-estreia que acontecerá no espaço OAndarDeBaixo, entre os dias 21 e 23 de março!

o-gibra-indica-azul-correto

  • Tags: